quinta-feira, 15 de junho de 2017

Por que os navios flutuam?

É incrível quando você se dá conta de que aquele carpete sequinho que você está pisando no navio está na verdade em cima de uma coluna d'água com até mais de dez quilômetros de profundidade. Isso é uma das coisas que me fascinam - e assustam outros - na navegação.
Mas você já parou para pensar como é que um navio tão grande e tão pesado não afunda? Esse é mais um assunto para uma conversa rápida com vocês!

Fascinante ver o Fascinosa Flutuando
Eles flutuam justamente porque são muito grandes

Existe uma relação entre a massa e o volume de um objeto que é denominada densidade. A densidade (massa ÷ volume) mostra qual a concentração da matéria de algo, ou seja, em que área aquela massa está distribuída. Imagine que você chega em uma loja de brinquedos e encontra um carrinho que pesa 20kg: você certamente iria achá-lo extremamente pesado quando pegasse! Agora você saiu da loja e foi até uma concessionária para conhecer um carro recém-lançado e o vendedor te diz que ele também pesa 20kg. Sem acreditar, você pega o veículo pelas maçanetas e o levanta do chão. É inacreditavelmente leve!!
Mas como pode os dois carros com os mesmos 20kg serem um absurdamente pesado e o outro incrivelmente leve? A explicação é que a massa do carrinho está concentrada em um volume muito pequeno, deveria ser um bloco maciço de metal esculpido, enquanto a massa do carro fictício está distribuída em um volume muito maior. Certamente ele não tinha nada dentro, era só uma carcaça.

Levando isso para uma escala exponencialmente maior - a de um navio de cruzeiro - nós podemos começar a entender porque uma estrutura com centenas de metros de comprimento, dezenas de metros de largura e dezenas de andares de altura consegue flutuar. Apesar de serem muito pesados, os navios são muito grandes e têm muitas áreas vazias.

O segredo é a combinação da área de contato do casco com a água, a grande quantidade de áreas preenchidas com ar e o empuxo do oceano:
Um navio como o Oasis of the Seas (não deixe de ler a nossa avaliação dele clicando aqui!) tem, fazendo um cálculo grosseiro, uma área de 23 mil metros quadrados (362 metros de comprimento por 64 de largura, mas a base dele não é um retângulo). Lembrem que também existe uma grande parte do navio que fica submersa, ele não é como uma prancha de isopor que fica só na superfície da água. O Oasis, nosso exemplo, tem mais de 9 metros abaixo da linha d'água. O resultado é que por ter grandes áreas "ocas" (não é um bloco maciço de aço), a densidade resultante do volume submerso preenchido predominantemente com ar, este com pouca massa, é muito baixa.

Mas a densidade baixa por si só não é o que faz o navio flutuar. A Terceira Lei de Newton explica tudo:
"A toda ação há uma reação oposta e de igual intensidade: as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em sentidos opostos"
Imagine que você e outra pessoa estão com patins de ski. Se tentar empurrar o outro em cima do gelo você também vai para trás, não só quem foi empurrado.
Isso acontece com um navio também. Quando ele é colocado no mar há um deslocamento enorme de água, um volume igual ao da área que fica submersa. Como essa força age de cima para baixo, o oceano "empurra" de volta o navio, como em uma tentativa de reocupar aquela área com a água. Essa força de baixo para cima é chamada de empuxo. Quando o navio chega a uma certa profundidade a força de cima para baixo e a de baixo para cima se igualam, fazendo com que ele flutue.
Esses fatores são levados em consideração pelos projetistas para que, depois de colocado tudo dentro do navio, ele fique na linha d'água com a altura desejada e tenha um centro de gravidade o mais baixo possível, para que não tombe. Um objeto com centro de gravidade extremamente baixo é aquele brinquedo "João bobo". Você pode colocá-lo até de lado que ele volta para a posição vertical! A ideia é chegar o mais próximo possível disso. Por isso os andares inferiores são feitos de aço e concentram todo o maquinário pesado, tanques de água, depósitos e as principais áreas públicas, enquanto os decks superiores são constituídos por materiais muito mais leves.

E por que ele afunda quando entra água? Porque a água é muito mais pesada que o ar. Dessa forma a massa aumenta muito e o volume continua o mesmo, resultando em uma densidade muito alta.

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

sábado, 13 de maio de 2017

Pacote de bebidas nos cruzeiros: vale a pena comprar? E os Cruise Flasks?

Várias pessoas me mandam mensagens perguntando se vale a pena ou não comprar um do pacote de bebidas para o cruzeiro. Em grande parte dos casos são pessoas que já reservaram a viagem mas ainda não sabem se devem ou não e como comprá-lo. Vamos falar sobre isso hoje!

Imagem: Costa
A vantagem de comprar previamente as bebidas é poder ter uma experiência parecida com a de um cruzeiro ou hotel all-inclusive, sem precisar se preocupar com quantos dólares extras você vai terminar pagando no fim da viagem depois de tomar aqueles Mojitos e Caipirinhas na beira da piscina. Mas isso não se aplica apenas a bebidas alcoólicas: refrigerantes, sucos, água engarrafada e cafés especiais precisam ser pagos separadamente.
As únicas bebidas inclusas nos navios regulares da temporada brasileira (com exceção dos all-inclusive) são a água servida em máquinas, chá, café, leite e, apenas no buffet durante o café da manhã, sucos de máquina. Porém se você quiser beber algo em um restaurante à la carte tudo será cobrado separadamente.
Pacotes da MSC (clique para ampliar)
Os pacotes de bebida podem ser alcoólicos ou não alcoólicos, o que define os preços e as faixas etárias às quais eles podem ser aplicados. Confira ao lado alguns valores de pacotes all inclusive como referência.
O preço por essa comodidade, como você pôde ver, pode parecer bem alto. Esses valores da MSC, por exemplo, são por dia e por pessoa. Pode ser que para outras pessoas seja mais interessante comprar um que só inclua as bebidas durante as refeições. Tem muitas opções, você deve escolher a que melhor atenda às suas preferências.
Algo que muitos compradores de pacotes de bebidas de primeira viagem não sabem é que esses pacotes devem ser comprados para todos os ocupantes da mesma cabine e só é permitido pegar uma bebida por vez. Então não é possível dividir o preço de um pacote e usar para todo mundo, viu gente?
Pode ser que apenas a praticidade proporcionada por esse serviço não seja suficiente para te convencer a pagar esses preços. Se você for do tipo que, independente da bebida, vá consumir poucas a bordo, realmente não vale. Mas se quiser beber nas refeições, tomar drinks, refrigerantes, cafés premium e fizer questão de água engarrafada... Aí vale. Para dar uma ideia dos preços separadamente, uma garrafa de água custa uns 3 dólares, uma cerveja ou suco sai por mais de 5 e um drink por volta de 10 dólares. Lembre-se que ainda tem a taxa de serviço de 15%, automaticamente adicionada ao valor.
As clássicas cartelas com tíquetes destacáveis para pegar bebidas estão ao pouco sendo substituídas. Hoje em dia elas estão sendo usadas mais para pacotes de cafés. Para as demais bebidas são mais comuns os pacotes fechados com consumo "ilimitado". Ilimitado entre aspas porque, para evitar que os passageiros exagerem no álcool ou que peguem bebidas para outras pessoas, as companhias costumam limitar o consumo diário e, em geral, não permitem um intervalo muito curto entre dois pedidos.
Então vale ou não comprar um pacote de bebidas? Isso depende de quanto você vai beber e o que vai beber. Não é muito fácil conseguir os valores das bebidas no site das companhias para ter uma ideia do quanto você iria gastar exatamente se comprasse cada uma separadamente, mas o site Cruise Critic, especializado em cruzeiros, recomenda que se você for consumir a partir de cinco bebidas durante o dia já vale considerar um pacote. Como os preços variam muito de acordo com a temporada, a companhia e o pacote, consulte com o seu agente de viagens ou na área de complementos para o seu cruzeiro no site da companhia quais são as opções e os valores disponíveis.

Consulte as regras da companhia que você vai viajar para ver se é permitido levar algumas garrafas de água e uma ou duas garrafas de vinho. A permissão para levar vinho é bastante comum. Para consumir sua própria garrafa em um dos restaurantes, porém, você pode precisar pagar a taxa de rolha, como acontece em terra. Se consumir na sua cabine não precisará pagar. Os vinhos inclusos nos pacotes de bebida são servidos na taça e, por ter vários tipos disponíveis, podem ser uma boa opção para quem quer harmonizar com uma carne e um peixe no mesmo jantar.
Para escolher e comprar o pacote de sua preferência você pode pagar junto com o seu cruzeiro na agência de viagens; reservar direto pelo site da companhia, na área de complementos para o seu cruzeiro; ou comprar nos primeiros dias a bordo do navio, em dólares. Se tiver reservado a sua viagem em uma agência e só depois decidir comprar o pacote de bebidas não tem problema, é só pedir para ser adicionado e fazer o pagamento.

O que os seguidores do RG Cruzeiros acham

Siga a gente no Instagram :)
Eu perguntei no Stories do Instagram se vocês recomendam ou não o pacote de bebidas. O resultado foi que praticamente todo mundo que já comprou recomenda, sim. A maioria dos que adquiriram o serviço usou para consumir bebidas alcoólicas, cafés e refrigerantes, o que tornou o investimento válido devido ao alto preço deles quando comprados separadamente em moeda estrangeira e com a taxa de serviço adicional. Uma pessoa que só tomou água e sucos disse que não valeu porque ela consumiu muito pouco. Nesse caso, para consumos eventuais, vale comprar cada uma separadamente. Um outro seguidor disse que viajou em um navio pelo Caribe e pegou um pacote de bebidas ilimitado em uma promoção mas teve que pagar pelas taxas de serviço. Então lembrem de ver antes se elas estão ou não inclusas para tomar a melhor decisão. No caso da MSC e da Costa elas já estão inclusas. Outra pessoa achou que os pacotes valeram mais a pena durante os dias de navegação. Como não é possível comprar para dias selecionados, vale comprar a bordo depois do primeiro dia da viagem ou esperar chegar o primeiro dia de navegação (se tiver). Fazendo isso você só irá pagar a partir daquele dia.

Cruise Flasks

Imagem: Divulgação
Eles já são velhos conhecidos dos passageiros e, principalmente, das companhias de cruzeiros: os Cruise Flasks. Qualquer pessoa pode comprar facilmente esses produtos, que por um bom tempo foram a solução mágica para levar bebidas para dentro do navio sem ser flagrado. Eles são basicamente garrafas de plástico transparentes que não são detectadas por raio-X e podem ser reutilizados.
A pergunta é: devo ou não usar? A resposta é bem óbvia: não deve. Isso é algo proibido, você estará infringindo um termo assinado durante a compra do cruzeiro. É certo que ninguém vai ser preso por causa disso, mas as companhias estão conseguindo detectar mais facilmente a presença de líquidos nas malas, o que está diminuindo a eficácia dos Flasks. Cada vez mais uma porcentagem maior de malas são flagradas nas inspeções e os passageiros chamados pela segurança do navio para abri-las e ter as bebidas apreendidas. Se a mala não estiver com cadeado você já irá receber ela em sua cabine sem as bebidas e com uma carta explicando que os itens foram confiscados porque são proibidos de entrar dessa forma no navio. É um processo relatado como constrangedor, apesar de já saber previamente que poderia dar errado.
Uma solução para as pessoas que não querem pagar tão caro pelas bebidas e também não querem dar uma de traficantes de álcool é consumir apenas as bebidas inclusas no buffet e deixar para ir a aos bares com os amigos e familiares apenas nos portos. É uma solução válida! Mas lembre que se você comprar uma garrafa de vinho (ou o que quer que seja) em terra, ela será guardada pela tripulação e devolvida apenas no último dia do cruzeiro. Também não exagerem em terra porque o navio tem hora para partir. Boa viagem!

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Celular funciona no navio? Cadê os cruzeiros saindo do Recife para Noronha? ‹ P&R #2 ›

Esta é a segunda edição do Perguntas e Respostas, uma postagem na qual eu compartilho e respondo as principais dúvidas enviadas por vocês!

O celular vai funcionar no navio em alto-mar?

Outros pacotes oferecidos pela Costa
O celular funciona no navio até certa distância da costa, podendo levar até mais de uma hora de navegação para perder por completo o sinal, o que é inevitável em cruzeiros marítimos. Durante o deslocamento de um destino para o outro os navios precisam navegar por águas internacionais para permitir o funcionamento do cassino e lojas a bordo além de, é claro, manter uma distância segura para navegar em velocidade de cruzeiro.
Ao contrário do que muitos pensam e fazem, não é preciso desligar o celular ou ativar o modo avião assim que o navio desatracar do porto, a cobertura de rede ainda vai permitir um bom tempo de uso dele. Mas para isso é indispensável que você desative o roaming internacional de dados para que seu celular não se conecte a satélites do próprio navio ou de outro país, o que garantiria uma surpresa nada agradável na sua conta. Estando com essa função desativada não tem com o que se preocupar, use normalmente até que o sinal acabe. Para fazer com que o celular não fique procurando por rede constantemente, o que aumenta muito o consumo de bateria, ative o modo avião quando não tiver mais sinal.
Se você não consegue ficar desconectado, procure no site da companhia quanto custa um pacote de internet. Existem opções bem acessíveis, como os planos Social Media Package, oferecido por empresas como MSC e Costa, com uso ilimitado de redes sociais por 5 dólares por dia.

O que aconteceu com os cruzeiros saindo do Recife para Fernando de Noronha?

O último navio que fez essas viagens para Noronha foi o Orient Queen 2, na temporada 2013/2014, mas nós não temos previsão de voltar a ter esse roteiro.
O problema é que, apesar do grande potencial da região, o arquipélago de Fernando de Noronha tem diversas exigências com a finalidade de proteger o meio ambiente, principalmente depois que ele foi declarado patrimônio natural da humanidade pela Unesco.
As restrições são as seguintes: a quantidade máxima de passageiros que pode desembarcar por lá ao mesmo tempo é bastante limitada (350), então é preciso que o navio seja de pequeno porte. Além disso ele tem que ter um sistema bastante eficiente de tratamento de esgoto e resíduos para não trazer impactos ambientais às cristalinas águas da região. Os problemas são: só os navios mais modernos atendem a essa segunda exigência e atualmente apenas companhias de luxo vêm construindo navios de pequeno porte. Ou seja, se tem que ser um navio novo e pequeno nós só temos opções de luxo, o que tornaria as viagens extremamente caras. O que nos sobra são ou navios pequenos e antigos, porém sem um sistema de tratamento de resíduos que atenda às exigências; ou navios maiores e mais novos, com sistemas de tratamento eficientes, mas que teriam ou que navegar com uma pequena fração da sua capacidade total de passageiros, o que tornaria o negócio inviável, ou realizar desembarques em rodízios, o que já se mostrou na prática, com o Ocean Dream, como algo que não agrada em nada os passageiros.
É comum os luxuosos navios da Ponant embarcarem passageiros no Recife no fim das suas temporadas na América do Sul e incluírem uma passagem pelo arquipélago. São navios perfeitos: pequenos e modernos. Mas os preços são para um público selecionadíssimo (a grande parte formada por estrangeiros), não daria para manter saídas semanais em navios daquele nível. 
Ou seja, atualmente não temos uma solução viável.

Os botes salva-vidas são seguros em alto-mar?

Apesar de ser bom saber que têm barcos reservas caso algo dê errado com o barco principal, muitas pessoas se questionam sobre a segurança de ficar em um bote salva-vidas no meio do oceano, principalmente se o mar estiver violento.
A boa notícia é que os botes existentes nos navios de cruzeiro estão preparados para enfrentar as condições adversas do mar e ainda manter os náufragos seguros e alimentados durante vários dias. Dentro de cada um existem kits de primeiros socorros, sinalizadores, comunicadores, alimentos prontos para serem consumidos, água e vários aparelhos de navegação. Além disso eles são capazes de continuar flutuando mesmo se estiverem inundados.

Hoje em dia o mar é repleto de navios, então caso um deles afunde e precise de ajuda as embarcações próximas serão avisadas e oferecerão apoio, embarcando os passageiros e tripulantes que estiverem no local.

Curiosidade: se apenas um dos botes salva-vidas do Oasis of the Seas, que têm capacidade para 370 pessoas, chegasse em Fernando de Noronha, ele sozinho já excederia o limite de passageiros que podem desembarcar lá simultaneamente!

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

segunda-feira, 20 de março de 2017

O que esperar do MSC Seaview, novo navio no Brasil em 2018

Mesmo com a redução da oferta de navios e a saída de algumas companhias do Brasil, a MSC sempre se mostrou empenhada em trazer seus melhores, maiores e mais novos navios para os nossos mares. Isso aconteceu com o Preziosa, que veio para cá com menos de um ano de construção, e vai se repetir no fim do próximo ano com o MSC Seaview, o segundo da nova classe denominada Seaside.
MSC Seaside, primeiro navio da classe que leva seu nome
O MSC Seaside será o primeiro dos gêmeos a ficar pronto e fará história ao ser o primeiro navio da companhia a ser batizado fora da Europa. Seu porto base e de batismo será Miami, de onde partirá para cruzeiros de uma semana pelo Caribe incluindo passagens pela nova ilha privada da companhia, a Ocean Cay Marine Reserve. Em 2019 o também novíssimo MSC Meraviglia irá para a Flórida, totalizando três navios da MSC juntos no mesmo porto: Divina, Seaside e Meraviglia.

SEAVIEW NO BRASIL NO PRÓXIMO ANO!
SEASIDE significa "beira-mar", em inglês, sendo esse nome escolhido para uma classe que fará jus ao título. A ideia por trás do projeto é colocar os passageiros mais próximos do mar, com uma grande promenade lateral com restaurantes, piscinas e locais para tomar um banho de Sol.
Quando chegar ao Brasil para a temporada 2018/2019, em novembro, o MSC Seaview será o maior e mais novo navio a operar na América do Sul. Os números impressionam: serão 154 mil toneladas, 17 decks - sendo 13 dedicados aos mais de 5000 passageiros - 323 metros de comprimento e 41 de largura.
Com essas dimensões e um projeto inovador, o Seaview será muito diferente não apenas dos outros navios da MSC, mas de qualquer outro navio que jamais operou no Brasil. Pela primeira vez vamos ter uma embarcação que oferece áreas abertas nas laterais e atrás (a 360º Promenade) com diversas atrações, como acontece com os navios da classe Breakaway, da Norwegian, e Dream, da Carnival, todos operando nos Estados Unidos. A diferença é que o Seaview terá a maior área do tipo já vista, dando uma volta completa no deck 8 e na popa do sétimo. Isso dará a ele o título de navio com a maior proporção de áreas ao ar livre jamais vista.
Falando no deck 7, é nele onde ficará a piscina que fará você pensar que está em um hotel à beira mar. Olha só a primeira imagem ao lado. Esses vidros no meio do "prédio" serão elevadores panorâmicos com uma vista incrível!
Para fazer as refeições ou se refrescar durante o dia, serão 20 bares e lounges e 9 opções de restaurantes, incluindo asiático, pizzaria, churrascaria, buffet e de frutos do mar.
Algo que irá atrair principalmente os jovens é o parque aquático, chamado de "o parque aquático mais interativo no mar" pela  MSC. A área terá dois andares e, pela primeira vez em um navio, contará com um toboágua computadorizado (Slideboarding), que junta a diversão dos toboáguas com videogames desafiadores. Também fazendo parte da diversão ao livre, o Seaview terá uma área para esportes.
A parte de trás do deck superior terá um design bem diferente do normal e bem mais estreito que o esperado para um navio desse tamanho. Mas o resultado é muito interessante com o telão ao fundo e uma vista bem ampla do mar, não é uma área fechada dos lados como normalmente acontece.
Seguindo a proposta de estar próximo do mar, a classe Seaside será a primeira da MSC a ter um atrium com paredes inteiras de vidro, permitindo uma grande entrada de luz natural. Do lado dos janelões passam duas passarelas com chão de vidro, partes da promenade lateral. O SPA também será diferente, oferecendo a opção de fazer tratamentos ao ar livre.
Passando para a parte interna, ele terá duas pistas de boliche em tamanho real, clube de comédia, clubes infantis, os já conhecidos cassino, academia, lojas, biblioteca.... e tudo o que a gente já está acostumado a encontrar em um navio de grande porte.

As cabines estarão divididas em várias categorias, desde as internas às suítes Yacht Club, com todas as mordomias e luxos já presentes nos navios da classe Fantasia.
Para famílias ou grupos que estejam viajando juntos, o navio oferecerá a opção de  reservar cabines familiares, interligadas, permitindo viajar até 10 pessoas juntas.

O porto base do MSC Seaview  durante a temporada 18/19 será o de Santos e as viagens incluirão roteiros pelo nordeste brasileiro, como acontece com o MSC Preziosa. Mal podemos esperar!

Imagens: divulgação/ MSC Cruzeiros
Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

quarta-feira, 1 de março de 2017

O que levar para um cruzeiro?

Um grande problema, principalmente para as mulheres, é saber quais roupas levar para a primeira viagem de navio. As principais companhias que estão operando atualmente nos nossos mares são a MSC, Costa, Pullmantur e Norwegian, então vamos agora saber o que vocês, marinheiros e marinheiras de primeira viagem, precisam e não precisam levar para o seu cruzeiro em qualquer uma dessas empresas!

Tanto para uma viagem de avião quanto de navio é preciso que você vá prevenido levando uma bagagem de mão com seus itens essenciais. Leve fora da sua mala seus documentos (não é necessário o passaporte para cruzeiros no Mercosul), cartões de crédito, dinheiro, remédios, vouchers, carregadores, notebook, câmera, desodorante, absorvente, escovas de cabelo e de dente e uma muda de roupa. Isso é importante porque você não vai embarcar com as suas malas, apenas com a bagagem de mão. As malas são entregues no terminal com a identificação da cabine, passam pela segurança do navio e depois são deixadas na porta da sua cabine. Esse processo pode demorar um pouco, então tendo uma roupa na sua sacola de mão você já vai poder tomar um banho assim que as cabines forem liberadas, mesmo se as malas ainda não tiverem chegado.
Na última noite da viagem você terá que colocar na frente da porta da sua cabine as suas malas devidamente fechadas e identificadas com a etiqueta que eles deixam em cima da cama. Mais uma vez lembre de deixar na cabine as coisas que você precisará usar antes de dormir (se for dormir) e na manhã seguinte. No dia do desembarque leve tudo na bagagem de mão.

Se estiver levando algum eletrônico com o novo conector brasileiro, de três pinos, você precisará de um adaptador para o padrão antigo, com dois pinos. Os conectores americano e europeu também são compatíveis.

Faça uma lista com o que precisa levar e vá riscando quando guardar. Sempre que lembrar de algo escreva logo, isso torna a arrumação bem menos estressante. Comece anotando: saco para colocar roupas sujas, pasta de dente, boné, roupa branca para a festa do branco, perfume.... Vá listando e depois riscando.

Por estarmos falando de companhias com navios "Standard", ou seja, não são de alto luxo, as roupas usadas no dia a dia são bastante informais, o mais confortável possível. Sandálias, shorts, calças jeans e camisetas são o traje adequado durante o dia. Na área da piscina use o seu biquíni ou sunga normalmente, mas quando for voltar para a área interna vista uma roupa já que, assim como em um hotel, nem todo mundo que você encontrar nos elevadores e corredores terá vindo da piscina.

Você não precisará levar toalha de banho, de mão ou para a piscina e praia (se precisar de uma para usar em terra eles oferecem sem custo extra). Deixe em casa também sabonete e shampoo, lençóis e secador de cabelo - na sua penteadeira você encontrará um secador. Uma dúvida frequente é quanto a poder ou não levar chapinhas ou pranchas de cabelo: pode sim, só não pode levar ferro de passar roupas. Não é permitido embarcar com bebidas alcoólicas e objetos ou produtos perigosos ou ilegais e que produzam fogo ou fumaça, sendo esses confiscados nas inspeções. Se comprar um vinho ou qualquer outra bebida alcoólica em uma das lojas do navio ou em terra ela será guardada e só entregue no último dia da viagem. Não é permitido comprar uma garrafa nas lojas Duty Free e consumir a bordo.
Em todos os navios não é permitido levar a bordo alimentos não industrializados ou fora das suas embalagens originais lacradas. Apesar de ser uma prática relativamente comum, não pegue frutas no buffet para comer quando desembarcar em um porto, principalmente se estiver indo para outros países fora da América do Sul. Isso é estritamente proibido em diversos lugares porque vegetais de outros países podem trazer sérios riscos à agricultura local.
Todos os cruzeiros, incluindo os mini cruzeiros, contam com pelo menos uma noite de gala (as viagens de até cinco noites costumam ter um e os de uma semana, dois). A participação não é obrigatória, mas é bem legal vestir trajes formais para assistir a um show no teatro, tirar uma foto com o comandante e participar de um jantar especial com uma taça de champanhe. Se não quiser usar paletó e gravata, como é tradição, você pode vestir camisa, calça e sapato sociais, sem problema algum. Mas se preferir continuar com sua sandália você pode ir para o restaurante buffet, que fica aberto para quem curte se vestir informalmente e fazer uma refeição mais rápida. Essa é, inclusive, uma hora excelente para aproveitar a piscina e as jacuzzis, já que elas ficam praticamente vazias! Para jantar nos restaurantes à la carte, quando não for o jantar de gala, procure sempre colocar uma roupa um pouco mais arrumada, como você se veste para ir jantar em um restaurante em terra.

No Costa Fascinosa: 1 armário com prateleiras e 2 com cabides
Mesmo com diversão e comida o dia todo tem pessoas que não perdem o foco e frequentam a academia do navio regularmente. Para vocês, não esqueçam de levar uma roupa apropriada e o seu tênis: não é permitido usar a academia sem um calçado adequado. É bom embarcar com eles nos pés para não ocupar tanto espaço na mala.

Em momento nenhum eu falei em limite de bagagem. É porque podemos dizer que não existe... Para dizer que tem, as companhias costumam estabelecer 90kg de limite. Mas lembre que as cabines não são grandes, apenas as suítes oferecem espaçosas áreas para bagagens, então leve em consideração que tudo vai ter que caber em uma área que pode ter apenas 11 metros quadrados - contando com o banheiro!

Dúvidas? Faltou dizer alguma coisa? Deixe seu comentário aí embaixo!

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Dúvidas sobre o primeiro cruzeiro ‹ P&R #1 ›

Os marinheiros de primeira viagem têm muitas dúvidas antes de embarcar, o que é normal já que um cruzeiro é uma experiência completamente diferente de qualquer outra viagem. Eu estou sempre recebendo perguntas de vocês, o que termina formando um  banco de questões muito interessante que pode ajudar ainda mais pessoas. Por isso eu resolvi aproveitar essas perguntas e criar uma série chamada de Perguntas e Respostas ‹ P&R › com o objetivo de trazer respostas para dúvidas que podem ser as mesmas de muitas pessoas e para compartilhar curiosidades. Para essa publicação, a primeira da série, eu selecionei quatro perguntas que são especificamente direcionadas a quem nunca fez um cruzeiro. Você pode usar o espaço de comentários, o e-mail (que está na direita da página) e o Instagram Direct para mandar qualquer dúvida que tiver. As melhores vão ser salvas para postagens futuras e, por questões de privacidade, o nome do autor da pergunta não será divulgado. Agora vamos para as perguntas e respostas:

Como é fazer um cruzeiro?
Uma viagem "normal" (por terra ou ar) é muito diferente de um cruzeiro, principalmente de acordo com o tamanho do navio.
Vamos imaginar que você vá viajar de carro, ônibus ou avião para um destino. Em uma viagem "normal", como essa, os atrativos dela estão todos no destino para onde você vai viajar, ou seja, o que você vai fazer na cidade. Acredito que quase ninguém vai viajar para uma cidade sonhando com a viagem de carro ou avião e pensando em ficar no hotel o tempo todo, né? Aí você pode dizer: "mas eu tenho vontade de viajar até a cidade X só para me hospedar no Resort Y e aproveitar toda a infraestrutura de restaurantes, piscinas, bares e atividades que ele oferece. Para mim pouco importa onde ele foi construído."
É aí que começamos a nos aproximar da ideia do que é um cruzeiro. O resort  (ou seja, o navio) é o seu principal destino de viagem, com a vantagem de também ser o seu meio de transporte. Por isso a escolha do navio é incomparavelmente mais importante em um cruzeiro do que a escolha do hotel em uma viagem por terra.
Isso explica porque o tamanho do navio influencia tanto na experiência da viagem como um todo. Os navios de pequeno porte, e principalmente os navios boutique, oferecem cruzeiros mais parecidos com as viagens por terra. Por serem menores, as atrações a bordo são bastante limitadas, mas ao mesmo tempo isso permite que eles cheguem a destinos exclusivíssimos onde um navio de grande porte não consegue sequer chegar perto. Esses destinos únicos são o principal atrativo da viagem; não o navio. Um exemplo são os cruzeiros de expedição, que já foram assunto de uma publicação. Já os navios de grande porte oferecem uma estrutura como a de um resort (ou uma cidade), sendo eles a principal atração da viagem. É por isso que eles são chamados de navios-destinos, já que são capazes de manter os passageiros entretidos durante a viagem inteira mesmo se não descerem em nenhum porto.

Reservei uma cabine, não uma suíte. Ela tem banheiro?
Banheiro no Costa Fascinosa
Os navios possuem basicamente quatro tipos de acomodações: cabine interna (sem vista para o mar), cabine externa (com uma janela), cabines externas com varanda e as suítes. Cada categoria tem suas subdivisões. O que acontece é que todas as cabines e suítes têm pelo menos um banheiro. O nome suíte é usado apenas para diferenciar as maiores e mais luxuosas cabines do navio, que chegam a ter vários quartos, banheiros, varandas imensas, sala, bar, hidromassagem e até piano. Então não se preocupe, mesmo não sendo chamada de suíte, a sua cabine vai, sim, ter um banheiro só para você.

O que tem na cabine? Tenho que levar lençol e toalha?
Falando de forma geral e incluindo as cabines internas, externas e com varanda, você encontrará guarda-roupas, cofre, penteadeira com secador de cabelo, frigobar, televisão e banheiro com sabonete, shampoo, toalhas de banho e de mão.
As cabines podem acomodar até quatro pessoas. Existe a opção de ter uma cama king size ou pedir para separar, transformando em duas camas de solteiro. A terceira e quarta camas podem ser um sofá-cama ou aquelas camas que saem da parede.

Eu tenho que descer em todos os portos ou posso ficar no navio? Tenho que pagar se quiser desembarcar? O que é desembarque com tender? Quando tenho que voltar para o navio?
Desembarque com tenders do MSC Orchestra em Búzios
Como nós vimos, muitas pessoas fazem um cruzeiro pensando no navio, não nos destinos (eu, por exemplo). Tem tanta coisa para fazer no navio que pouco importa para onde ele vai!  Por isso vários passageiros preferem não descer, aproveitando o navio enquanto ele está praticamente vazio. Mas se quiser desembarcar você não vai precisar pagar nada a mais por isso, já está tudo incluso no valor do cruzeiro. Algumas cidades, como Fortaleza, Recife, Maceió, Salvador, Ilhéus, Rio de Janeiro, Santos, Itajaí, Montevideu e Buenos Aires, possuem um porto onde os navios podem atracar e os passageiros descem pela escada direto para a terra. Já Búzios, Ilhabela, Ilha Grande, Angra dos Reis, Cabo Frio, Portobelo e Punta del Este não têm um porto, apenas píeres onde os passageiros desembarcam através de lanchas. Essas lanchas do próprio navio são chamadas de tenders, sendo também usados como botes salva vidas. Em uma situação dessa o desembarque é mais demorado, então as companhias entregam fichas com números para organizar a saída. Os passageiros que tiverem uma excursão reservada com o próprio navio terão preferência para desembarcar, já os demais deverão esperar seu número ser chamado nos alto falantes ou simplesmente esperar todos serem chamados e desembarcar quando quiser.
A hora de partida que tem dizendo no itinerário do cruzeiro é a partida do navio, você não vai poder ficar na cidade até essa hora. Ao descer do navio você verá uma placa com o "Todos a bordo" dizendo a hora máxima de retorno. Se chegar depois dessa hora você não será proibido de embarcar, mas não se atrase porque chegando a hora de partir o comandante decidirá se dá ou não para esperar um pouco por passageiros que ainda não tenham voltado. Como os aviões, os navios também precisam cumprir horários.

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

RG Cruzeiros em doca seca!

De quatro em quatro anos, em média, os navios de cruzeiro vão para uma doca seca fazer serviços de manutenção tanto na parte interna quanto externa. Em dezembro de 2016 o RG Cruzeiros completou três anos e eu resolvi levar ele para fazer a sua primeira manutenção! Neste mês de Janeiro eu estou revisando várias publicações para corrigir erros de digitação, atualizar dados, acrescentar informações e imagens para oferecer sempre um conteúdo com a melhor qualidade possível para vocês. Caso tenha mudanças que eu ache necessário avisar, vou deixar uma observação na publicação dizendo que aqueles dados foram atualizados.

Três anos no (m)ar!
Com seus três anos e um mês online, o RG Cruzeiros já conta com 88 postagens publicadas, essa é a 88ª, e passamos de poucas dezenas de visualizações em dezembro de 2013, quando o blog foi criado, para mais de 10 mil visualizações só no mês de dezembro de 2016! A página no Instagram também teve um crescimento enorme, já tendo mais de 8.500 seguidores em apenas um ano e seis meses.
Obrigado a todos vocês pelo apoio incrível! Isso tudo é feito junto com vocês :)

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra