sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Cruzeiros em Navios de Carga?

Luxo, tripulantes preparados para prever as vontades dos hóspedes, inúmeras opções de entretenimento e milhares de passageiros de todas as idades a bordo. Isso é tudo o que você não encontra em uma viagem em um navio de carga. Aliás, você sabia que é possível viajar como passageiro em um navio porta-container?
Imagem: CMA CGM
Esse talvez seja o mais exótico tipo de cruzeiro. É até difícil dizer se é possível chamar isso de cruzeiro. O navio serve apenas como meio de transporte, você desembarca junto com milhares de containers nos locais de escala e as rotas são bastante diferentes das que somos acostumados - quase sempre não inclui a volta. Seria um transatlântico? Bom, é um "cruzeiro em navios de carga".

RMS Santa Helena
Centenas dos milhares de navios cargueiros que estão navegando neste momento oferecem cabines para passageiros. A maioria deles tem capacidade para apenas 12 pessoas (fora a tripulação), já que as leis marítimas passam a impor diversas exigências quando o número de passageiros ultrapassa esse número - como a existência de um centro médico a bordo. O navio desse tipo com a maior capacidade de passageiros é o pequeno RMS Santa Helena, para 128 pessoas.
Algo que atrai os viajantes a navegarem acompanhados de containers é a possibilidade de reservar uma viagem até um porto, passar dias ou até semanas nessa cidade e reservar a viagem de outro navio partindo dali para o próximo destino. Mas para isso é preciso comprar com muita antecedência, já que as cabines esgotam rapidamente. Alguns navios oferecem rotas regulares, incluindo os trechos de ida e de volta, como Ásia  - Mediterrâneo, EUA - Ásia, Europa - EUA - Austrália, Europa - Guiana - Brasil, Canadá - Ásia, Le Havre - Caribe, Ásia - Mar Adriático e Mediterrâneo - EUA. As rotas dos cargueiros não regulares podem muitas vezes serem mudadas e os horários são muito flexíveis. Sabe aquela plaquinha "todos a bordo às x horas" durante os cruzeiros? Em um navio de carga não dá para determinar uma hora exata assim; a partida vai acontecer só quando as cargas tiverem sido embarcadas ou desembarcadas, o que varia muito de porto para porto, dia para dia e dependendo da quantidade de carga em trânsito.

Img: marcopolocruises.net
Img: marcopolocruises.net
O entretenimento a bordo é algo que depende do bom convívio com os oficiais e os demais passageiros. Jogar cartas, ler um livro, conversar, ver o mar e acompanhar o trabalho do comandante e oficiais durante a navegação e o embarque e desembarque de cargas são as principais atrações. Mas lembre que os tripulantes estão lá para trabalhar, então durante grande parte do dia eles não podem dar atenção aos hóspedes.
Como boa parte do tempo os passageiros terminam passando nas suas cabines, elas são bem maiores que as oferecidas pelos navios de cruzeiro intermediários. As áreas públicas são compartilhadas pelos tripulantes e passageiros e alguns navios oferecem academia, biblioteca e até uma pequena piscina. É uma boa oportunidade para os amantes da navegação viverem durante até meses um pouco do que é a vida dos marinheiros, inclusive diretamente da ponte de comando e da sala de máquinas.

Durante a viagem são inclusas três refeições por dia. Elas são preparadas por um chef a bordo e também são servidas para os tripulantes e passageiros juntos. Como há garçons e camareiros é preciso, assim como nos navios de cruzeiros, pagar uma gorjeta para eles. Mas o valor aqui é bem menor.

Os preços da viagem - na faixa de 100 dólares por dia - não são muito inferiores aos praticados pelas companhias de cruzeiros, mas a experiência de viajar ao redor do mundo dessa forma é única. Claramente esse é um tipo de viagem voltado para os viajantes mais experientes, mas é preciso prestar atenção na idade. As companhias costumam não permitir idosos acima dos 80 anos e nem crianças muito pequenas porque em quase todos os navios não há hospital, podendo ser exigidos exames médicos que comprovem a boa saúde de quem pretende embarcar. Também não são permitidas gestantes a bordo.

Você não vai conseguir reservar uma viagem dessa indo em uma agência de viagens qualquer, é preciso procurar um agente especializado em cruzeiros em navios de carga ou reservar pelo site da própria companhia. Só para citar o nome de algumas delas: Bank Line, CMA CGM, Hamburg-Süd, Mediterranean Shipping Company (MSC) e St. Helena Line.

Quem já viajou em um navio de carga como passageiro conta que se você tiver tempo disponível e gostar de aventuras, vale cada centavo. Ver o nascer e pôr do sol no meio do mar e deitar no deck superior para observar as constelações no meio do silêncio e da escuridão das noites já pagam a viagem. As pessoas que você conhece e as histórias que escuta e vive fazem com que uma viagem de 40 dias entre os EUA e a Austrália seja uma experiência extremamente enriquecedora, suficiente para escrever um livro.
A outra opção é passar quase um dia sentado em um avião.

Copyrigh© RG Cruzeiros. All rights reserved. Imagens e Textos com direitos reservados. Rodrigo Guerra

Nenhum comentário:

Postar um comentário